sexta-feira, 16 de janeiro de 2009

Areia

Eles pareciam crianças
brincando nas ondas do mar
e eu desejava somente
que ficasse tudo bem.

Toda aquela tensão
permanente
me fazia sofrer
desejava
somente não estar ali.

Desejava a solidão
mas ali na beira do mar
a chuva chegando
um sol fraco
me iluminou os olhos
eu vi de longe um sorriso
e quase sem querer
fraquinho
apareceu em mim
um fio tênue
de esperança.

Imbassaí, 10 de janeiro de 2009.

Quando a chuva cai

É uma escrita raivosa
(ou pode ser feliz)
como quando a chuva cai
e você pensa em Deus
se pergunta os porquês
já sabe sem resposta
pergunta assim mesmo
porque é um grito
não consegue segurar
mas só gritos, não!
quero cantar também
como quando você sai
e encontra por aí
desesperançado
uma bondade no escuro
um sorriso no vazio
como quando a chuva cai
e depois quando bate o sol
e você pensa em Deus
e no mundo e na vida e na chuva
e nos porquês
e mesmo assim
a vida segue
em derrocada triunfo
resistência dor
e esperança
de quando bate o sol.

Campinas, dezembro de 2008.